Malu Super Mulher

29/05/2012 09h05

Logo Malu

Matéria disponível em: http://papofeminino.uol.com.br/destaque/dicas-para-deixar-a-sala-aconchegante/

Dicas para deixar a sala aconchegante

Sugestões práticas e fáceis de aplicar para deixar sua casa ainda mais bonita

Texto: Beatriz Albuquerque

Dicas para deixar a sala aconchegante

Foto: Thinkstock/Getty Images

1. Como manter a sala sempre bem arrumada para não passar vergonha com visitas inesperadas?
A arquiteta e urbanista Luiza Lutti Pinheiro Machado indica que é muito importante que cada coisa tenha o seu lugar, dessa forma fica mais fácil para se organizar. “Se você chega em casa e tem um lugar exato pra deixar a bolsa, é lá que você irá deixar, e com o tempo isso acaba virando um hábito”, exemplifica. Ela explica que ganchos para bolsas e chaves são ótimas opções para conferir funcionalidade aos ambientes.

2. Quais os cuidados que devem ser tomados em casas com crianças pequenas?
De acordo com a arquiteta Patricia Mellilo é preciso evitar mobiliário com quinas. Caso isso não seja possível, a escolha deve priorizar móveis com cantoneiras plásticas, encontrados em lojas especializadas para bebês.

3. A sala precisa ter cortinas obrigatoriamente? 
O arquiteto Ishida defende que não existe obrigatoriedade de nada e aconselha utilizar cortinas nos casos em que haja necessidade de barrar a luz direta ou indireta, para obstruir olhares de estranhos, para compor o ambiente com cores ou para esconder uma janela antiga que você não gosta. De acordo com a arquiteta Patricia, uma boa opção são as persianas roll-on que vêm sendo muito utilizadas atualmente.

4. Como escolher um sofá? 
Antes de tudo é preciso pensar para que ambiente você está querendo o sofá. De acordo com Patricia, para salas de tevê ou home theater, os sofás grandes, modulares e com chaise são os modelos ideais. Já para salas de estar, são preferíveis os modelos retos, confortáveis, macios, porém com certa firmeza no estofado. Ela destaca que um bom sofá é aquele que acomoda, é aconchegante ao sentar, sem distorcer a postura, e que não dificulta o ato de levantar- se.

5. Quais as especificidades para a sala de uma pessoa idosa? 
De acordo com Gabriel, é preciso tomar cuidado com as quinas e é bom se preparar para um possível uso de cadeiras de rodas. As dimensões entre os móveis devem permitir acessibilidade com larguras de 1 metro para permitir uma passagem mais confortável. Para evitar dores nas pernas, como reumatismos, e conflitos térmicos no corpo, o arquiteto recomenda pisos mais quentes, como madeira, pvc, mdf ou vinil. Patrícia ainda ressalta que as bordas de tapetes representam um perigo aos idosos. O melhor seria, portanto, livrar-se desses riscos.

6. O que não pode faltar em uma sala para receber?
Gabriel explica que a opção do morador é mais importante e que o conforto do visitante não deve ser prioridade sobre a organização do ambiente. Ele afirma que seria interessante haver um lugar receptivo e agradável para a conversa, que não precisa necessariamente ser um sofá, mas deve ser aconchegante.

7. E a iluminação? Qual a melhor alternativa?
Gabriel Noboru Ishida responde que é sempre importante investir em iluminação indireta, pois ela torna o ambiente mais aconchegante e menos cansativo. Além disso, ajuda a cuidar dos olhos, pois luzes focadas com reflexos cintilantes no ambiente e brilhos intensos sobre fundos escuros tendem levar ao cansaço e dor nos olhos.
A dica de Luiza é fazer composições dando enfoque a algum móvel ou objeto do cômodo, utilizando alguma superfície como refletor, investindo em sancas,“rasgos” de iluminação ou luminárias no chão que iluminam de baixo para cima.

8. Em imóveis onde a sala e a copa são contínuas, qual alternativa para separar os ambientes? 
O arquiteto explica que as possibilidades são muitas. Essa divisão pode ser feita com móveis, iluminação, forros, pisos diferentes combinados com mesas e balcões, tudo integrado com a escolha do sofá, por exemplo.

9. Como deve ser a sala em uma casa com animais de estimação?   
Luiza informa que a primeira coisa a se fazer é optar por armários e móveis com portas, que impedem o acesso dos bichinhos ao seu interior.
A arquiteta destaca que também é preciso tomar cuidado com as cortinas, dando preferência para as curtas, que não cheguem até o chão. Porém, se você preferir a cortina longa, escolha tecidos mais resistentes e que não desfiem com muita facilidade. O mesmo serve para os tapetes, que também sofrem com as unhas dos gatos. “Uma boa opção são os tapetes de sisal”, garante.
Quanto aos pisos, ela afima que os de cerâmica e porcelanato são os mais indicados nessa situação, pois são os de limpeza mais fácil.

10. Qual deve ser a cor do sofá e das almofadas para que não apareçam os pelos que caem?
Gabriel explica que a cor do sofá depende da cor do animal. Se o pet for branco, a melhor opção para o estofado seria cores claras ou até o branco, para disfarçar os pelos. Caso o animal seja malhado, o sofá deve ter a cor semelhante a uma média das cores do bichino. Ele sugere que é bom ficar atento e manter a limpeza constante. “Há o risco de acúmulo de pelos, o que torna o ambiente anti-higiênico”, esclarece.

11. E quanto ao pé dos estofados, dá para protegê-los do xixi?
Se forem de madeira, os pés dos estofados podem ser protegidos por impermeabilização. Os pés metálicos não apresentam tanto problema, pois são mais fáceis de limpar e não mancham, explica Luiza.

Sem pelos ou cheiro
Escolha um sofá feito de material impermeável, para não ter problemas com pelos e nem com a urina. No chão, tapetes de sisal são uma ótima pedida.

 

 

Tudo para sua sala

 

 

Para conferir mais dicas, adquira a revista Tudo Para Sua Sala – já nas bancas!

 

 

 

 

 

 


** Já curtiu o Facebook da Revista Malu?

IMPRIMIR
  • Compartilhar


Os comentários não representam a opinião deste site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

* Campos obrigatórios






6 − 1 =