Malu Super Mulher

26/04/2012 08h00

Logo Malu

Matéria disponível em: http://papofeminino.uol.com.br/mulher/amor-e-sexo/como-nao-cometer-gafes-na-hora-do-sexo/

Como não cometer gafes na hora do sexo

Orientações para você não cometer nenhuma gafe na hora H

Texto: Aline Mendes

Atitudes que devem ser evitadas no sexo

Foto: Thinkstock/Getty Images

Seja na primeira noite ou não, todo mundo gosta de causar uma boa impressão entre os lençóis.  “O mais importante é que os dois se sintam bem, que saibam o que desejam e descubram do que o outro gosta”, avalia a ginecologista e terapeuta sexual Glene Rodrigues.  Para alcançar essa sintonia, vale agir de maneira equilibrada e evitar as gafes. Como? Siga as dicas da especialista.

Sexo verbal fora de hora

A comunicação, com gestos ou palavras, tem papel fundamental na intimidade, mas é preciso fugir dos exageros. “Nas preliminares, assuntos e frases sensuais estão liberados, mas, durante o ato, não se deve falar de sexo”, orienta. “Temas domésticos, filhos e problemas devem ser deixados do lado de fora do quarto do casal. Discutir a relação, então, nem pensar”, afirma.

Pega mal gritar ou gemer alto durante a transa?

“Depende. Se você está em um ambiente em que alguém pode escutar, controle o barulho para não atrapalhar os vizinhos, mas se o casal está isolado e gosta, não há problemas”, responde. Tudo bem dizer algumas frases picantes e até palavrões, mas espere ter bastante intimidade com o par, assim não corre o risco de assustá-lo.

Mostre as preferências

Para mostrar suas preferências sem parecer que está instruindo o parceiro, aposte na linguagem corporal. “Use os gestos. Quando tiver intimidade com o parceiro, converse sobre sexo, mas fora da cama”, destaca.

Bate-papo

Um desencontro comum depois do sexo ocorre quando os homens querem dormir e as mulheres, conversar. “Após a atividade sexual, eles liberam um hormônio que leva ao sono. Elas devem entender essa diferença e falar o mínimo possível”, recomenda.

E se ele soltar um “foi bom pra você?”

“Isso faz parte do processo de autoestima, mas, com cuidado, é bom ir mostrando que essa pergunta não é necessária”, comenta.

A camisinha

Que ela é indispensável, todo mundo sabe, o complicado para muitas mulheres é encontrar uma maneira de dizer isso ao parceiro. “Logo que decidem ir para o motel, pergunte se ele tem preservativo e deixe claro que só terá a relação se estiverem protegidos”, ressalta Glene.

Primeira noite

O segredo para não errar na primeira vez com o parceiro é imitar os seus gestos. “Não se preocupe, pois ninguém tem a obrigação de ser perfeito. A sintonia se adquire com o tempo e a confiança”, garante Glene. Para a especialista, ter uma noite inesquecível não significa apenas alcançar o prazer máximo ou fazer malabarismos para impressionar. “Nesse caso, é melhor pecar por falta do que por excesso. Assim, as chances de agradar são maiores”, diz.

Roupas íntimas

Guarde as lingeries mais ousadas para quando tiver bastante liberdade com o par. “Ele pode interpretar de forma errada as suas intenções. O essencial é que a mulher se sinta bem na lingerie que escolher e que esta seja adequada para o seu corpo”, alerta.

Brincadeirinhas

Evite, logo no primeiro encontro, sugerir brinquedos eróticos. “Com o tempo, você pode comentar que viu em uma revista ou que uma amiga comprou e perguntar o que ele acha”, aconselha.

Ranking das gafes

1. Um fora clássico e imperdoável é trocar o nome da pessoa durante a transa.

2. Por mais que queira levar numa boa, a parceira jamais deve rir se o homem falhar na hora H.

3. “Não é legal a mulher ser afoita demais, querendo mostrar que é boa de cama e fazer de uma vez só o que ela acha que agrada o homem”, explica Glene.

4. Usar uma lingerie inadequada pode comprometer a noite. Evite os modelos grandes ou pequenos demais, as calcinhas velhas ou furadas e as versões muito ousadas para uma primeira vez.

5. Fazer joguinhos picantes demais ou um strip-tease logo de cara pode assustar o par. “A mulher pode combinar com ele ou improvisar, mas só se estiver muito à vontade”, avisa a especialista.

Ops, escapou!

Ninguém está livre de enfrentar algum desencontro durante o sexo como câimbras, cabeçadas, barulhos estranhos e até gases. O que fazer? “Se for muito perceptível, peça desculpa e siga em frente; se foi algo sutil, finja que não aconteceu nada”, esclarece Glene, lembrando que essas coisas também devem ser encaradas com bom humor.

 

Consultoria: Glene Rodrigues, ginecologista e terapeuta sexual, médica assistente de sexologia do Hospital Pérola Bayton, de São Paulo. E-mail: glene@uol.com.br


Tags:

** Já curtiu o Facebook da Revista Malu?

IMPRIMIR
  • Compartilhar


Os comentários não representam a opinião deste site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

* Campos obrigatórios






7 + = 11