- 05/04/2013 18h34

Logo Malu

Matéria disponível em: http://papofeminino.uol.com.br/destaque/como-ter-um-jardim-bonito-sem-gastar-muito/

Como ter um jardim bonito sem gastar muito

Veja dicas de arquitetos e decoradores para deixar seu jardim mais aconchegante

Isabela Zamboni

O jardim dá um toque especial a qualquer casa: não importa o tamanho, esses espaços deixam seu lar mais charmoso, confortável e aconchegante. Quer saber como ter um jardim bonito sem gastar muito e em um espaço pequeno? Veja dicas da arquiteta Tacia Ronda, coordenadora do curso de arquitetura e urbanismo da Anhanguera – Uniderp e também dos arquitetos e decoradores Rafael Kreling e Faten Kamel Soueid:

Primeiros passos

Tacia afirma que para ter um jardim bonito e saudável, é necessário que a pessoa tenha cuidados regulares: “É preciso podar e regar as plantas, remover ervas daninhas, adubar a terra e aplicar inseticidas apropriados com o intuito de evitar pestes ou insetos que prejudiquem as folhas e plantas”.

Rafael afirma que o mais importante é contar com a ajuda de um profissional da área: “É muito importante quando for montar seu espaço verde contar com a ajuda de um profissional, pois irá indicar as espécies adequadas para aquela área, tendo como norte o tamanho da área, período de sol, solo e ventilação. Isso assegura o bom resultado e vigor do jardim”.

 

Flores no jardim

Foto: Thinkstock/Getty Images

Cuidados regulares

O que qualquer pessoa deve ter em mente ao montar um jardim é que ele exige bastante manutenção e zelo.  “A manutenção dependerá do tipo de plantas utilizadas, bem como o tipo de clima. Geralmente, deve-se regar as plantas em dias alternados ou a cada dois dias, se o clima for úmido. Recomenda-se a remoção de galhos e folhas secas e a adubagem duas vezes por ano, mais frequentemente em janeiro e agosto”, aponta Tacia.

Para não gastar muito na manutenção, Faten aconselha: “Os gastos na manutenção de um jardim estão diretamente relacionados com os cuidados que as plantas selecionadas exigem. Uma dica para não gastar muito é escolher plantas de fácil adaptação e resistentes, como cactos, bromélias e leguminosas”.

Tipos de plantas

Para saber quais tipos de planta escolher, é necessário prestar atenção no clima e no local: “Para jardins pequenos, o ideal é que se escolham espécies de médio e pequeno porte, tais como arbustos e forrações. É importante verificar se a planta é de pleno sol, sombra ou meia sombra, para garantir que ela tenha um bom desenvolvimento. Algumas espécies indicadas são azaleias, viburnos, gardênias, camarão, murtas podadas, buxinhos bolas, íris, moreias, spatifilum ou lírio da paz, e como forrações rabo-de-gato, evolvulo, dinheiro em penca e mini grama preta, por requererem cuidados mais simples”, aconselha Tacia.

Rafael ainda acrescenta: “É bom trabalhar com plantas que floresçam em épocas distintas e de texturas variadas. Mantém o jardim sempre ‘vivo’ em todas as estações”.

Dicas de decoração

Não só de plantas sobrevive um jardim: para deixar o espaço bonito e elegante, também é bom investir em fontes, móveis e objetos decorativos: “Quando possível, é bom representar, além da terra já usada, outros elementos da natureza, como fogo, água e vento, que podem ser respectivamente assimilados com o uso de velas ou lareiras, fontes ou pequenos lagos e sino de ventos, móbile ou cata-vento. Já as peças de mobiliário devem trazer a sensação de conforto e relaxamento”, afirma Faten.

Tacia também pontua que as fontes são excelentes opções para criar a sensação de relaxamento: “Para tornar o espaço mais aconchegante, pode-se utilizar fontes, devido ao efeito calmante do ruído da água, além de vasos e canteiros delimitados por troncos, dormentes, tijolos ou outros elementos decorativos. Criar caminhos que permeiem o jardim e ambientes de descanso também são alternativas agradáveis”.

Pequenos espaços

Se o seu jardim é bem pequeno, é possível usar alguns truques para deixá-lo mais espaçoso: “Para pequenos espaços, aconselha-se a utilização de vasos agrupados em um espaço delimitado, colocando os vasos menores aos pés dos maiores. Outra alternativa é dispor pequenos vasos em armários rústicos, garantindo a organização e aproveitamento do espaço. O uso de pisos claros, como seixos brancos, também dá a sensação de amplitude”, revela Tacia.

Rafael complementa: “O ideal é tomar cuidado com o tamanho do mobiliário e com o excesso de plantas”.

Guia de produtos

 

 

Consultoria:

Rafael Kreling – arquiteto

Faten Kamel Soueid arquiteta e decoradora

Tacia Ronda, coordenadora do curso de arquitetura e urbanismo da Anhanguera – Uniderp


** Já curtiu o Facebook da Revista Malu?

IMPRIMIR
  • Compartilhar


Os comentários não representam a opinião deste site; a responsabilidade é do autor da mensagem.

* Campos obrigatórios






− 1 = 8